GABRIEL COIMBRA

Amantikir ou Serra da Mantiqueira

Segundo uma lenda da região “em tempos idos, uma formosa índia da tribo Tupy apaixonou-se perdidamente pelo Sol e passava os dias a banhar-se na sua luz. O Sol, o Guerreiro do Cocar de Fogo, também enamorado da bela índia, passava dias e noites no céu para ficar perto da sua amada, não deixando que a paz da noite serenasse a Terra. Os pastos se incendiavam, a capoeira secava e ferviam os lamaçais.

A Lua, com ciúme da mulher que roubou-lhe a atenção do Sol, foi queixar-se a Tupã e este ergueu um enorme paredão para esconder do Sol sua enamorada. A índia, impedida de ver seu amado, verteu rios de lágrimas, torrentes de água. A montanha foi chamada de AMANTIKIR que quer dizer Serra que chora, devido à grande quantidade de nascentes que brotam em suas encostas. Essas nascentes são as lágrimas da bela índia de que ninguém lembra o nome…”

Using Format